Conversas para um Desenho de Sociedade

Laboratório vivo

em que, a partir de um tema, jeitos de pensar são inspirados e jeitos de nos relacionar experimentados.

É organizado no modo de encontros independentes: não há necessidade de participação prévia ou conhecimento mínimo. Também não há uma rotina de intervalos entre os encontros preestabelecida.

São ensaios em dinâmica em que a pesquisa que fazemos toma forma, ganha dimensão e realiza a intenção que temos de que transformações paradigmáticas nas relações sejam vividas e convividas para além dos limites temporais e estruturais dos encontros.

Com base em entendermos os fundamentos desde onde pensamos o que pensamos, que refletem os fundamentos desde onde dizemos o que dizemos e fazemos o que fazemos, é que a conversa acontece. E a partir dessa experiência é que a transformação se dá, sempre de impacto sistêmico sistêmico, pois que partimos do pressuposto que – para gente – estar vivo significa participar de dois sistemas: o biológico e o cultural.